Perguntas frequentes - Parto e puerpério



Deverá informar-se junto do hospital onde pensa recorrer para o parto, mas referimos como exemplo, o que é geralmente necessário:

 

  • Para a mãe:
  • Camisa de dormir, roupão e chinelos;
  • Produtos de higiene;
  • Cuecas, preferencialmente descartáveis.

Desaconselhamos o uso de objetos de valor.

  • Para o bebé:
  •  Fraldas descartáveis/reutilizáveis
  •  Babygrows ou conjuntos de camisa e calça (com pé)
  •  Conjuntos de camisas interiores de algodão
  •  Toalhas de banho e fraldas de pano (opcional)
  • Manta ou envolta
O uso da chucha prejudica a adaptação do bebé à amamentação, pelo que deve ser evitada nas primeiras semanas de vida.

O internamento de acordo com os protocolos hospitalares oscila entre as 48 e as 72horas.

In brochura "Guia para Grávidas" Janela Aberta à Família
Administração Regional de Saúde do Algarve, I.P.

 

Nas últimas semanas a mãe sente a “descida” da barriga.

Os primeiros sinais de início do parto são:

  • Expulsão do rolhão mucoso, que é a eliminação, pela vagina, de muco gelatinoso, rosado ou acastanhado, que pode ocorrer alguns dias antes do trabalho de parto ou apenas algumas horas antes do mesmo.
  • Rotura da bolsa de águas, que se manifesta com a saída de líquido amniótico pela vagina, normalmente claro e transparente, devido à rotura das membranas que envolvem o bebé, e que pode ocorrer lentamente, ou de repente, em grande quantidade. A mãe deve dirigir-se ao hospital com brevidade.
  • Contrações uterinas regulares, cada vez mais intensas, de forma mais organizada e mais próxima. Quando elas forem regulares e com intervalos de 10 em 10mn deve dirigir-se ao hospital.

Nas últimas semanas de gravidez é comum ocorrerem contrações irregulares e sem dor, mas isto não significa que está em trabalho de parto.



Todos sabemos que mesmo um parto saudável e normal é geralmente acompanhado de dor.
Existem vários métodos que atenuam a dor durante o parto. Podem ser farmacológicos (uso de medicamentos orais, injetáveis ou a analgesia epidural) ou não farmacológicos, como a utilização da bola de pilates, massagens, deambulação, hidroterapia, aromoterapia, musicoterapia, entre outros.
Para a realização da epidural será solicitado à grávida o seu consentimento por escrito.
Os cursos de preparação para o parto e parentalidade poderão ser uma boa opção para o esclarecimento de dúvidas e redução da ansiedade. Informe-se no seu Centro de Saúde ou Maternidade.
A parturiente, se desejar, pode estar acompanhada pelo companheiro, ou alguém da sua confiança.
A elaboração de um Plano de Parto, com instruções simples e exequíveis, poderá ser uma ferramenta valiosa para os profissionais de saúde porque facilita a assistência individualizada e o envolvimento do acompanhante nos cuidados.

In brochura "Guia para Grávidas" Janela Aberta à Família
Administração Regional de Saúde do Algarve, I.P.

 

O parto normal é constituído por três etapas: dilatação, expulsão e dequitadura.

  • Na dilatação, o colo do útero, por onde o bebé passa, começa a dilatar-se até aos 10 cm. As contrações são cada vez mais regulares e próximas. Durante uma contração, a mãe deve inspirar profundamente pelo nariz, como se estivesse a “cheirar uma flor”, e deitar o ar fora pela boca, como para “apagar uma vela”. Quando a contração terminar, deve inspirar e expirar profundamente, relaxando o mais possível.
  • Na expulsão, o bebé sai pela vagina, mas pode ser necessário um pequeno corte no períneo para facilitar a sua saída. A mãe deverá em cada contração inspirar profundamente e, depois, não deixar sair o ar enquanto faz força. Quando já não faz força, expira; e aproveita o intervalo entre as contrações para descontrair.
  • Na dequitadura, depois do nascimento do bebé, é necessário aguardar a saída da placenta e das membranas que envolveram o bebé.

 

No caso de ser necessário uma cesariana, o médico informará quais os motivos desta intervenção e pedirá o seu consentimento por escrito.

Nos primeiros dias após o nascimento, ficará internada no serviço de obstetrícia, onde lhe darão alguns ensinamentos essenciais para o regresso a casa.
Aquando da alta deverá marcar consulta com o médico assistente na 6ª semana após o parto. Alguns cuidados importantes:
 
  • Mantenha o seu duche diário;
  • Faça a lavagem exterior do períneo ao mudar o penso e após evacuar e enquanto tiver perdas de sangue;
  • Não use tampões nem faça irrigações vaginais;
  • Na higiene das mamas basta a lavagem diária no duche; evite aplicação de pomadas; massaje os mamilos com o próprio leite após as mamadas;
  • Mantenha o suplemento de ferro;
  • Pode iniciar a pílula própria para mamãs que amamentam, mas geralmente só depois da 2ª semana após o parto e com aconselhamento médico;
  • A atividade sexual pode geralmente ser retomada depois da 5ª semana após o parto, e sempre com aconselhamento médico sobre o melhor método contracetivo.
 
Deverá contactar o seu médico ou o Serviço de Urgência (recomendamos primeiro ligar para o SNS24 – telef. 808242424)se ocorrer:
• Febre.
• Aumento marcado das perdas de sangue.
• Dor mamária intensa ou mamas com sinais inflamatórios.
• Dor abdominal intensa de início súbito.
• Agravamento progressivo de dores a nível do períneo.
 
Nas primeiras semanas depois do nascimento do bebé, será normal que as mães se sintam um pouco cansadas.
Poderá também sentir-se confusa, com sensação de não conseguir cuidar do bebé, abatida e com uma sensação de “estranha” tristeza, exatamente no momento em que todos os restantes familiares se sentem eufóricos. Não deve sentir-se culpada, pois estes sentimentos podem ser causados pelas alterações hormonais ocorridas após o parto. Fale sobre o que está a sentir com o seu médico ou enfermeira.
Alguns conselhos para a mamã:
  • Solicite ajuda para as tarefas domésticas de forma a poder dedicar-se mais ao seu bebé.
  • Descanse o mais que puder, fazendo coincidir os seus sonos com os sonos do bebé.
  • Tenha uma alimentação variada.
  • Procure pôr-se bonita, arranje-se; isso ajudá-la-á a ficar mais bem-disposta.
  • Tente sair com regularidade para dar um passeio a pé. O ar fresco e o exercício fazem maravilhas e a maioria dos bebés também aprecia estes passeios. Deve evitar atividades com impacto (saltar, correr) nos primeiros 2 meses. No nosso website tem informações sobre alguns exercícios que pode e deve fazer.
 
Alimentação da mãe que amamenta
 
  • Faça uma alimentação variada, com poucas gorduras, mas muita fruta e verduras.
  • Beba 2 a 3 copos de leite meio gordo ou gordo por dia (neste período é preferível ao leite magro) ou derivados como o iogurte e o queijo.
  • Beba à volta de 2 litros de água por dia.
  • Não beba bebidas alcoólicas.
  • Evite café, chá e outras bebidas estimulantes em excesso.
  • Os medicamentos mais frequentemente receitados às mães lactantes são compatíveis com a lactação, no entanto se necessitar de fazer medicação consulte o seu médico.