Efeitos do fumo do tabaco na saúde dos nossos filhos


O consumo de tabaco constitui a principal causa de doença e mortalidade prevenível nos países desenvolvidos.
O fumo do tabaco é uma combinação de aproximadamente 4000 substâncias químicas tóxicas e pelo menos 42 componentes estão relacionados com o cancro.
Os mais pequenos são mais vulneráveis aos efeitos nocivos do tabaco, uma vez que se encontram em crescimento.
Na grávida e, apesar do conhecimento dos efeitos tóxicos do tabaco, estima-se que cerca de 15 a 20% das mulheres que fumam continuam a fumar durante a gravidez! Sabe-se que o tabaco está relacionado com gravidez ectópica, malformações congênitas, parto prematuro, baixo peso e aborto espontâneo.
Durante a lactação a nicotina diminui a produção de leite e provoca ansiedade, transtornos do sono e apneias no recém nascido.
Nos Estados Unidos, a morte súbita é a principal causa de morte nos bebés entre um mês e um ano de vida, e representa quase metade das mortes de bebés entre os 3 aos 4 meses. Segundo vários estudos, a exposição passiva ao fumo do tabaco por parte dos adultos que convivem com o bebé, eleva até 3 vezes o risco de morte súbita! E não só, a inalação do fumo do tabaco predispõe as crianças a sofrer as seguintes patologias: Asma, Pneumonia, Bronquite, Otites de repetição, Transtornos de aprendizagem, Défice de atenção, Inicio precoce do tabagismo na criança e o adolescente.
Um recente estudo revelou que o fumo do tabaco aumenta o risco de hospitalização do bebé por infeções nos primeiros 6 meses de vida. Esse risco é ainda maior num bebé prematuro e/ou de baixo peso ao nascer. Isto indica que o tabaco não é só irritativo e prejudicial para as vias respiratórias como também para o sistema imune, aumentando a probabilidade de infeções graves.
Simplesmente com o deixar de fumar podemos evitar todas estas complicações.
Somos conscientes de que o tabaco é uma adição, e de que nenhuma mãe deseja “qualquer mal” para o seu filho, mas é da responsabilidade de todos oferecer às crianças um ambiente livre de fumo do tabaco e assessorar aos cuidadores da criança para que consigam deixar de fumar.
Cada vez existem mais motivos para deixar de fumar..., sobretudo se tem filhos.

Fonte

Maria Alfaro (pediatra)